Image Map
CATEGORIAS FECHADAS:
DESIGN SIMPLES


PREVISÃO DE ABERTURA:
15/02
Image Map

CF: He Is The Devil (Vitória Muniz)



HE IS THE DEVIL
AUTORA: Vitória Muniz
________________________________
___________________________________________________

He Is The Devil - Segunda Versão.

SINOPSE: Existem pessoas que pecam, existem pessoas que se dizem santas mas são totalmente o contrário disso e existe Ginevra O' Donell, que passou da linha do limite de pecado ao ser escolhida para ser a noiva de Lúcifer.Não seria tão fácil, e ela não iria se render sem lutar.  Mas a batalha estava praticamente perdida, afinal, como vencer do maior demônio de todos, com seu sorriso malditamente esculpido nas profundezas do inferno?

Lúcifer não desiste fácil, Ginevra também não.

E ela lutaria com todas as suas forças para permanecer na terra por que, afinal, ele é o Diabo. E ela não quer ir para o inferno.

TEMAS: Anjos, diabo, inferno
________________

CAPÍTULOS POSTADOS ATÉ O MOMENTO:  6
STATUS DA FANFIC ATÉ O MOMENTO: EM ANDAMENTO
_______________

SOBRE A OBRA
A fanfic conta a história de Lúcifer  e seus esforços em convencer uma humana, por quem está apaixonado, a casar-se com ele.

SOBRE O AUTOR
A autora possui outras duas fanfics, que parecem seguir temas igualmente obscuros. He Is The Devil é a primeira história de sua autoria que eu leio.

APRESENTAÇÃO - VALE DE 0 A 2 PONTOS

Quanto à capa, o rosto de Lúcifer o estilo utilizado na nomenclatura da autora são aspectos que me agradaram, entretanto, o título ficou um tanto descentralizado, e o rosto da protagonista fora de evidência. A escolha das cores foi propícia e interessante. 

Sobre a sinopse, me pareceu contraditória a ideia de que Ginevra seria uma exímia pecadora – afinal, durante a história, ela mesma é descrita como alguém por vezes ingênua. Assim, como teria ela passado do limite de pecados possíveis ao ser escolhida por Lúcifer? As duas últimas frases abrilhantaram o texto, apesar do uso incorreto do pronome interrogativo. Acredito que ele poderia ser substituído pelo “porque”.

0,9 PONTOS

NARRATIVA - VALE DE 0 A 3 PONTOS

O prólogo é curto e já introduz a existência de sentimentos de Lúcifer por Ginevra – mas o modo como isso é feito, de forma rápida, me faz pensar que esta parte da fanfic poderia ser realocada para alguns capítulos adiante, ou depois de uma explanação sobre como ele a conheceu e como começou a nutrir sentimentos por ela. 

A história me passou uma sensação de pressa, sem aparentes razões para o modo rápido como tudo acontecia. O leitor não tem tempo para conhecer protagonista a fundo, ao mesmo tempo em que sente-se curioso acerca do ressentimento nutrido pelo diabo. 

1 PONTOS


DESENVOLVIMENTO - VALE DE 0 A 3 PONTOS

Estranhei o fato de, no capítulo seguinte ao prólogo, Lúcifer descrever seus planos de “convencê-la”. Este fato, somado ao tratamento carinhoso com o qual ele se dirige à Ginevra (amor, querida, meu amor), prejudica a fidelidade do personagem – que por senso comum era esperado como um ser frio, sádico e extremamente egoísta, que não se preocupa com a vontade de nenhum outro ser.

A “noiva” escolhida reage de forma tranquila demais ante à presença deste que, a não ser que ela tenha recebido uma criação desprovida de religiosidade ou acredite em esoterismo, fatos que não foram esclarecidos, mostrou até mesmo certa naturalidade diante de acordar no inferno, encontrar-se com o próprio Lúcifer e uma mulher sem olhos, e, ainda assim, não impedi-lo de beijá-la antes que o beijo de fato ocorresse e de apenas encostar-se na parede e choramingar. 

A exploração dos personagens não aconteceu de fato, deixando-os superficiais e rasos:

- ao voltar do inferno e encontrar seu apartamento completamente reformado, a preocupação da personagem centra-se, de início, na dificuldade que ela teria em limpar o novo piso, de madeira

- quando pede para que ele a encontre, após sua sessão de tortura com o demônio, ela pede para que Lúcifer vá tomar um banho, com naturalidade, e ainda assim realmente espera que as manchas vermelhas na roupa dele sejam de ketchup?

- Lúcifer está fugindo de uma humana por, em suas próprias palavras, estar como “um bobo apaixonado”?

As brincadeiras do personagem em relação ao gato Anúbis foram pontos de comédia interessantes, que suavizaram o texto.

Danadan ter a ousadia de reconhecer, no último capítulo postado, que Lúcifer certamente não havia soltado os demônios como um ato misterioso, foi o primeiro momento da história em que pude enxergá-lo como alguém digno de tais intimidades com o diabo, mostrando-se inteligente e afiado.
1 PONTOS

ORTOGRAFIA - VALE DE 0 A 2 PONTOS

Houveram casos de pleonasmo no texto. Como gramática não é o meu forte, vou te mostrar alguns exemplos e como eles poderiam ser corrigidos, ao meu ver.

“Estava preocupada, enquanto falava ao telefone e dizia algo...” para “Parecia preocupada enquanto falava ao telefone.”

“Ela entrou correndo, tentando correr da chuva.” Para “Entrou subitamente, ainda arfando por ter que correr da chuva.”

Outros trechos que, de acordo com meu ponto de vista, poderiam ser reparados:

“Seus cabelos estavam uma bagunça, como sempre, e eu podia ver vestígios de tinta em seu rosto.” para “Como sempre, seus cabelos estavam uma bagunça. Os fios, que emolduravam delicadamente seu rosto, evidenciavam as marcas de tinta presentes nas bochechas.”

“Observei-a ir embora, como um cachorro que caiu da mudança.” para “Observei-a ir embora como um cachorro que caiu da mudança.”

“Quando ficou só a bituca, a joguei no chão, amassando com a minha bota.” para “Continuei a fitá-la, amassando com a bota os restos de cigarro que jaziam no chão.”

“Ele revirou os olhos e eu bufei irritado. 

Aos poucos, a igreja foi enchendo de pessoas. Homens, mulheres, idosos e adolescentes.” para “Ele revirou os olhos enquanto eu, irritado, observava a igreja preenchendo-se gradativamente com homens, mulheres, idosos e adolescentes.

1 PONTOS

AVALIAÇÃO FINAL - 0 A 10
Sua história é original e possui bastante potencial – você tem as ideias, só precisa explorá-las, principalmente no que tange ao desenvolvimento dos personagens. Espero ter ajudado em algo. :)
P.S.: algumas coisinhas que gostaria de ressaltar:

- no capítulo um: “Ginevra se botava...”. Como Lúcifer é uma criatura relativamente antiga para a humanidade, fiquei curiosa sobre o linguajar dele, tão informal. Foi intencional?
- Achei a resposta dele bem legal naquele momento em que Ginevra o conheceu: “Diabos não, diabo. Sou Lúcifer e, deixe eu dizer, o prazer é todo meu.”
- Na volta dele ao inferno, a descrição do lugar poderia ter se prendido menos a detalhes de decoração e mais à agonia do inferno em si – gritos agonizantes, sons de tortura, etc.
- Por quais motivos Lúcifer desejaria construir uma família?
- O diabo come? Rs. Se sim, espera alguém para poder comer?

3,9 PONTOS + 0,6 Bônus = 

4,5 PONTOS

2 comentários:

  1. Hey, Aira. Obrigada pela crítica sincera e pelos pontos ressaltados.
    Vou revê-los.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada a você pela oportunidade! Estou na torcida <3

      Eliminar

Image Map
Image Map
Codification and Design: RddleWho | Pagination and Design: Madame Gorgona and Purple Dynamite | Todos os direitos reservados © Moodboard